Home
FÓSSEIS DO BAIXO MONDEGO - Crinóides
 
 






 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Filo Echinodermata

Classe Crinoidea: Crinóides

Os crinóides, vulgarmente conhecidos como lírios-do-mar, possuem um esqueleto calcário maciço, e foram particularmente abundantes nos mares paleozóicos, originando bancadas espessas de calcário.

Geralmente fixam-se ao fundo do mar por um pé flexível - o pedúnculo - circular ou pentagonal, formado por numerosas peças - os entroques. No topo do pedúnculo surge o cálice, ou teca, provido de braços que filtram os alimentos da água. Após a morte, o esqueleto usualmente desmonta-se em múltiplos ossículos.

Existem desde o Câmbrico médio estando de uma forma geral representados nas rochas jurássicas da região do Baixo Mondego. Nestas são mais abundantes nas unidades do Jurássico inferior.


Crinóide actual:

Crinóide


Morfologia geral dos crinóides e respectivas partes constituintes:

pp vvvpv


Exemplo de fóssil de Crinóide do Baixo Mondego:

Pentacrinus