Home
QUAIS OS PRINCIPAIS GRUPOS DE FÓSSEIS?
 
 






 

 

 

 

É muito grande a diversidade de organismos que povoaram a Terra nestes últimos milhares de milhões de anos. No entanto, a grande maioria desapareceu sem deixar qualquer vestígio da sua existência, particularmente aqueles sem partes duras (esqueletos).

Deste modo, os fósseis que se encontram mais facilmente, quer pela sua abundância, quer pela sua dimensão, correspondem geralmente a animais com esqueleto, sem vértebras e visíveis a olho nu - os macroinvertebrados.

  • Os macroinvertebrados fósseis mais abundantes no Baixo Mondego são:

    Esponjas - animais aquáticos com esqueletos de calcite ou de sílica, as suas formas lembram mais as plantas que os animais. Nível: Câmbrico-actualidade.

     

    Corais - com formas muito variáveis e esqueleto calcário, formam recifes em águas marinhas tropicais. Nível: Ordovícico-actualidade.

     

    Braquiópodes - animais marinhos, apresentam duas conchas calcárias (ou quitinizadas) assimétricas. Uma delas (valva braquial) apresenta um orifício por onde sai o pedúnculo. Nível: Câmbrico-actualidade.

     

     

    Moluscos: grupo de invertebrados de uma diversidade extraordinária, incluindo poliplacóforos (quítones), gastrópodes (lesmas e caracóis), bivalves e cefalópodes (lulas, polvos, nautilos e fósseis de amonites e belemnites). Quase todos possuem uma concha calcária de carbonato de cálcio (com excepção de alguns gastrópodes - as lesmas - e alguns cefalópodes - os polvos).
    O corpo (partes moles) raramente se conserva no processo de fossilização, sendo as conchas o material que geralmente se utiliza na sua classificação.
    São marinhos na sua maioria, exceptuando alguns bivalves raros e gastrópodes de água doce, assim como alguns gastrópodes terrestres - os pulmonados (caracóis vulgares).

    Sub-grupos:

    Bivalves - apresentam duas valvas semelhantes, geralmente dispostas lado a lado (excepto as ostras e os rudistas). São marinhos. Nível: Câmbrico-actualidade.

     

     

    Gastrópodes - possuem uma concha única enrolada em espiral e não compartimentada. São marinhos ou terrestres. Nível: Câmbrico-actualidade.

     

     

     

    Nautilóides- moluscos cefalópodes marinhos que possuem conchas calcárias enroladas em espiral ou rectilíneas, divididas em câmaras por tabiques. Os tabiques encontram-se ligados por um sifão. Nível: Câmbrico-actualidade.

     

     

    Amonóides - moluscos cefalópodes marinhos semalhantes aos Nautilóides, mas cujo sifão tem posição ventral. Os tabiques originam uma estrutura complexa de suturas. Nível: Devónico-Cretácico.

     

     

    Coleóides- moluscos cefalópodes marinhos que apresentam um rostro calcário robusto em forma de bala. Nível: Jurássico-Cretácico.

     

     

     

    Equinodermes - grupo de invertebrados marinhos que possuem, geralmente, um esqueleto dérmico calcário, usualmente com espinhos, conservando-se no registo fóssil com relativa facilidade. Regra geral têm simetria pentarradiada. Os seus representantes actuais mais comuns, são os ouriços-do-mar (equinóides), as estrelas-do-mar (asteróides) e os lírios-do-mar (crinóides).

    Sub-grupos:

    Crinóides - Geralmente conhecidos como Lírios-do-mar, vivem nos fundos marinhos aos quais se fixam por um pé flexível - o pedúnculo. Este dissocia-se após a morte do indivíduo, sendo frequentos os seus restos. É notória a simetria pentarradiada. Nível: Câmbrico-actualidade.

     

     

    Equinóides - vulgarmente conhecidos como ouriços-do-mar, possuem concha rígida globosa, formada por placas calcárias, coberta por espinhos. Têm cinco partes bem definidas, podendo apresentar simetris bilateral ou pentarradiada. Nível: Ordovícico-actualidade.