Home
A HISTÓRIA DO BAIXO MONDEGO
 
 





 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Baixo Mondego está integrado no sector setentrional da Orla Meso-Cenozóica Ocidental que, por sua vez, é parte correspondente da porção emersa da margem continental oeste da Ibéria (rectângulo claro).

Mapa da Ibéria


O Baixo Mondego corresponde a uma zona sedimentar vasta que se prolonga de Coimbra até ao Atlântico. Este espaço possui uma cobertura sedimentar de idade mesocenozóica constituída por rochas detríticas e carbonatadas.

Parte da Carta Geológica de Portugal (1:500 000) correspondente ao Baixo Mondego:

Carta Geológica

 


Através da análise das rochas sedimentares que afloram neste espaço e do seu conteúdo fóssil, é possível elaborar quadros que resumem as unidades litológicas organizadas cronostratigraficamente, associadas à distribuição dos vários grupos de fósseis:

Complexo Carbonoso, Calcários Hidráulicos e Camadas Marinhas ricas de lamelibrânquios

(Clica nas unidades litológicas representadas para aprenderes mais sobre a geologia regional)

 

   

Esponjas Corais Braquiópodes Bivalves Gastrópodes Nautilóides Amonóides Belemnites Crinóides Equinóides Complexo Xisto-grauváquico e Cristalofílico Grés de Silves Camadas de Coimbra Margas e Calcários Margosos de Eiras, Margas e Margo-calcários de Adémia e parte de Calcários Margosos de Pedrulha Calcários de Ançã e Calcários de Andorinha Complexo carbonoso, Calcários hidráulicos e camadas marinhas ricas de lamelibrânquios Arenitos de Boa-Viagem Formação de Figueira da Foz Calcários Apinhoados de Costa d'Arnes Grés de Furadouro e Grés de Oiã Areias e argilas de Taveiro Lacuna estratigráfica Lacuna estratigráfica Geologia e estratigrafia do Baixo Mondego