Home
QUAL A UTILIDADE DOS FÓSSEIS?
 
 






 

 

 

 

 

 

 

Para além de constituírem peças de colecção de rara beleza, os fósseis têm múltiplas aplicações na ciência moderna.

Comecemos pelas Ciências da Vida. Os fósseis são evidências materiais de organismos do passado distintos dos actuais, permitindo conhecer como têm evoluído as espécies até chegarem às formas recentes, incluindo o Homem - Paleontologia Evolutiva.

Exemplo de árvore evolutiva da família Hominidae:         Árvore evolutiva humana dos últimos 5 Ma:

Árvore evolutiva           Clique para ampliar

         


Outra utilidade resulta do estudo de todos os fósseis encontrados na mesma unidade geológica, integrados no respectivo substrato. Torna-se então possível determinar que relações existiriam entre os vários organismos (predação, comensalismo, parasitismo, entre outras), e entre estes e o ambiente. Este estudo é objecto da Paleoecologia.

Exemplo de reconstituição paleoecológica do Cretácico superior do Baixo Mondego:

 

Reconstituição paleoecológica do Oceano Tethys no Jurássico superior tendo representados amonóides, equinóides, coleóides, peixes e algumas plantas:

Caso não consiga visualizar clique aqui!

Vídeo da autoria de Antonio Gutiérrez, autor do site Paleontologia-Hispana, tendo sido autorizada a sua reprodução.


Uma vez que alguns organismos apenas sobrevivem em condições climáticas muito restritas, estes constituem bons indicadores de climas do passado, sendo estudados pela Paleoclimatologia. Os grãos de pólen fósseis são particularmente úteis nestes estudos.

Da mesma forma há organismos adaptados a ambientes muito restritos. Por exemplo, na actualidade os gastrópodes que se encontram em meio marinho são diferentes dos encontrados em meio lacustre ou terrestre. Estes organismos dão-nos informações acerca do ambiente em que viveram - Paleoambiente - sendo considerados fósseis de ambiente ou fósseis de fácies. Estas informações também nos permitem reconhecer a geografia da Terra no passado, como a extensão de mares antigos, praias, lagos, entre outros. A reconstituição da geografia da Terra do passado a partir de organismos fósseis designa-se Paleobiogeografia.

Os fósseis também podem ser úteis nos estudos de tectónica. O estudo de um fóssil deformado comparativamente com um original, permite-nos quantificar a deformação sofrida por uma determinada rocha.

Por fim, a aplicação provavelmente mais importante reside na capacidade de determinação da idade das rochas que os contêm, uma vez que cada intervalo de tempo tem fósseis característicos. O estudo da idade dos estratos sedimentares a partir dos fósseis designa-se Biostratigrafia. Os fósseis que se distribuem em intervalos de tempo curtos na História da Terra tendo ampla distribuição geográfica designam-se fósseis de idade.

A observação de unidades estratigráficas com o mesmo conteúdo fossilífero permite a sua correlação.

A Biostratigrafia é largamente utilizada em estudos científicos, assim como na indústria extractiva do petróleo e do carvão entre outras.


Resumindo, os fósseis têm aplicações várias destacando-se fundamentalmente em quatro domínios:

  • . Biostratigrafia
  • . Paleobiogeografia
  • . Paleoecologia
  • . estudos de Evolução